Palestras

Palestras sobre Dogras – ABCD

Estas palestras são voltadas para empresas, escolas, faculdades, igrejas, centro comunitários entre outros locais, onde levamos orientação, aconselhamentos, esclarecimentos e testemunhos verdadeiros de libertação e recuperação. Divulgando principalmente a importância da prevenção primaria das drogas, pois cremos que prevenir e orientar o jovem de hoje é melhor do que tratar o adulto de amanhã.

Nas palestras os ouvintes ganham a oportunidade de entender e ouvir mais sobre os problemas gerados pela dependência química e recebem instruções de como passar por este problema. Por meio de uma linguagem simples, com testemunhos e apoio da palavra de Deus é possível ter grandes resultados com estas palestras sobre drogas que visam apoiar os ouvintes e prepará-los para uma nova realidade.
Drogas são todas e quaisquer substâncias naturais ou artificiais que ao serem introduzidas no organismo, são capazes de alterar o comportamento e afetar a saúde das pessoas. Várias substâncias são consideradas drogas, como remédios ou alimentos. Aqui iremos tratar daquelas drogas que causam dependências e são nocivas para a saúde.

Estas drogas são divididas em dois tipos:

• Drogas legalizadas cigarro e bebida alcoólica.

• Drogas ilegais maconha, cocaína, crack, ecstasyentre outras.

Mas o que leva uma pessoa a usar drogas?

Geralmente o primeiro contato com as drogas ocorre já na adolescência, ali mesmo na roda de amigos. Várias são as causas que estão relacionadas com o início da utilização das drogas:
Auto-afirmação;

Baixa auto-estima;

Problemas familiares;

Aliviar dores, tensões, angústias, depressões;

Ajuda a esquecer ou fugir dos problemas familiares ou profissionais;

A facilidade de acesso e obtenção;

Buscas de novas sensações e satisfações;

Influência de amigos, traficantes e propagandas;

Para estar na moda;

Palestrante:
Carlos Lothar é palestrante, exerceu a direção de diversas unidades clínicas e é um dos fundadores da ABCD – Associação Brasileira de Combate as Drogas com mais de 19 anos de convivência com dependentes químicos e centros de recuperação.